Perguntas Frequentes

P1: De que trata O Livro de Urântia?

Um breve resumo não pode fazer justiça às profundas reflexões, conceitos originais e caráter inovador que distinguem O Livro de Urântia de tudo o mais impresso. O livro fornece um intenso movimento de introspecções que poderiam transformar a vida humana e inspirar todos os homens e mulheres do nosso planeta, Urântia. A mensagem central é que todos os seres humanos são uma família, os filhos e filhas de um Deus, o Pai Universal.

Os autores nos instruem sobre a origem, história e destino da humanidade e da nossa relação com Deus. Eles também apresentam um retrato único e convincente da vida e dos ensinamentos de Jesus, abrem novos horizontes de tempo e eternidade, e revelam novos conceitos da sempre ascendente aventura do homem para encontrar o Pai Universal em nosso amigável e cuidadosamente administrado Universo. Os pontos de vista da ciência, filosofia e religião apresentadas no Livro de Urântia são possivelmente a integração mais clara e concisa dessas disciplinas disponíveis ao homem contemporâneo.

Entre os muitos milhares de pessoas que compraram, leram e estudaram O Livro de Urântia, não há dúvida de que ele pode fazer uma contribuição significativa para o pensamento filosófico e religioso de todos os povos. Ele realmente tem o potencial para remodelar o destino do mundo. Mais e mais, pessoas de todo o mundo descobriram que as verdades em O Livro de Urântia os impressionaram profundamente e mudaram suas vidas inspirando-os e estimulando-os a novos níveis de crescimento espiritual e de vida iluminada.

Os autores do Livro de Urântia não descrevem ou defendem uma nova e organizada religião. Eles apoiam-se na herança religiosa do passado e do presente, incentivando uma religião pessoal viva, baseada na fé e no serviço aos semelhantes. Este despertar espiritual lançaria uma nova e melhor era de relações humanas, para que possamos realizar a fraternidade social sobre o nosso planeta e alcançar a paz e a boa vontade duradouras através da transformação espiritual de cada indivíduo e toda a humanidade.

P2: Qual a origem de O Livro de Urântia?

Em resposta a perguntas sobre as origens do Livro de Urântia, a nossa melhor fonte de informação é o próprio livro. Os documentos das Partes I, II, e III foram concluídos em 1934 e 1935 como indicado na última página de cada seção. O livro não dá nenhuma data de conclusão para a Parte IV. Não há partes adicionais ou não publicadas para o livro. A seção “Os Títulos dos Documentos”, páginas VII até XII, lista os autores de cada Documento catalogados por sua ordem de seres. Diferentes seções ao longo do livro descrevem essas ordens; você pode querer consultar o “Índice Detalhado do Livro” para encontrar as seções apropriadas. As considerações nas páginas 16-17 e a seção 8 a partir da página 1.341 referem-se às fontes humanas para o conteúdo do livro. Os limites da revelação são apresentados nas páginas 1007, 1008 e 1109. Você também pode consultar o último parágrafo completo da página 865 para uma explicação sobre o papel dos intermediários e as páginas 1208-9 e 1258 para as referências ao sujeito humano envolvido na revelação.

Muita especulação existe sobre as origens físicas do Livro de Urântia. Informações sobre o papel específico dos indivíduos envolvidos, e os mecanismos exatos de como o livro foi transmitido, sabiamente não foram revelados a nós para evitar uma indevida idolatria para com os indivíduos e as origens do livro. Sabemos, no entanto, que no início do século 20, um médico de Chicago tornou-se o chefe de um grupo conhecido como a Comissão de Contato. Este pequeno grupo foi o ponto focal para a produção e custódia preliminar do texto final do Livro de Urântia. Eles foram orientados a não divulgar detalhes sobre as operações a fim de evitar que futuras gerações viessem a venerar os seus participantes. Devido à sua natureza reveladora, o livro sustenta-se por seu próprio mérito, natureza e conteúdo. O verdadeiro valor do Livro de Urântia não reside tanto em suas origens mas sim no conteúdo espiritualmente significativo da sua mensagem.

A medida que o conteúdo do Livro de Urântia foi sendo transcrito, os Documentos de Urântia foram lidos, e perguntas foram solicitadas ao “Fórum”, um grupo que se reunia regularmente para discussões na casa do médico. As respostas a essas perguntas foram então incorporadas nos documentos. Estes primeiros leitores formaram o primeiro núcleo de crentes na revelação e tornaram-se comprometidos com a missão de levar os ensinamentos do Livro de Urântia para toda a humanidade.

P3: Quem escreveu O Livro de Urântia?

O Livro de Urântia foi publicado pela Fundação Urântia em 1955. Os autores dos Documentos individuais estão identificados como sendo de várias ordens de seres celestiais. O livro afirma que é a primeira revelação de época para a humanidade desde a vinda de Cristo para o nosso planeta. A seção “Os Títulos dos Documentos”, páginas de VII a XII, lista os autores de cada Documento, catalogados por sua ordem de seres. Diferentes seções ao longo do livro descrevem essas ordens; você pode querer consultar o “Índice Detalhado do Livro” para encontrar as seções apropriadas. As considerações nas páginas 16-17 e seção 8 a partir da página 1.341 referem-se às fontes humanas para o conteúdo do livro. Os limites da revelação são apresentados nas páginas 1007, 1008 e 1109. Você também pode consultar o último parágrafo completo da página 865 para uma explicação sobre o papel dos intermediários e às páginas 1208-9 e 1258 para referências ao sujeito humano envolvido na revelação.

P4: O que é “Urântia”?

Segundo os autores do Livro de Urântia, “Urântia” é o nome do nosso planeta. O livro narra uma estimulante história sobre a vida humana em nosso planeta e combina e integra muitos conceitos interessantes para a ciência, filosofia, história e religião, proporcionando assim uma visão unificada da realidade. O livro retrata a história do nosso planeta a partir do momento em que começou, enquanto nos conta como a vida evoluiu e como a sociedade humana desenvolveu-se. Ele combina essas ideias com informações sobre o destino de nosso planeta e como ele se relaciona com o cosmos, enquanto revela profundos conceitos sobre a natureza de Deus descrevendo Seus planos para nós, como indivíduos e como raça humana. Detalhes físicos: Parte III do livro, “A História de Urântia”, começa na página 651. O autor descreve a nebulosa de Andronover e a origem do nosso sistema solar, em seguida, afirma que a história real do nosso planeta começou a 1.000.000.000 de anos atrás, quando ele tinha atingido aproximadamente seu tamanho atual. Nessa época, foi dado ao nosso planeta o nome de “Urântia” [p. 660, § 3].

P5: O Livro é uma nova religião?

O Livro de Urântia não defende uma nova religião. Ao contrário, os ensinamentos do Livro de Urântia pretendem se apoiar sobre as verdades espirituais que existem em todas as religiões do mundo e agregar uma visão expandida da Divindade e do cosmos que seja compatível com o pensamento moderno. O ponto de vista do livro baseia-se no património religioso do passado e do presente; ele é projetado para funcionar como um ingrediente de fermentação para os sistemas de pensamento e de crenças do mundo moderno. A Urântia Associação não pretende iniciar uma nova religião. Ela está comprometida com a divulgação do livro e seus ensinamentos, cujo objetivo é expandir a consciência cósmica e aumentar a percepção espiritual, a fim de trazer um rejuvenescimento espiritual entre os povos do mundo.

Não há nenhuma igreja ou hierarquia organizada associada com o livro e seus ensinamentos. Existem grupos e associações de leitores de todo o mundo que se reúnem para estudar o livro e seus ensinamentos e confraternizar uns com os outros. Entretanto, não há interpretação oficial do livro e nenhum corpo autoritário que dita para os leitores. Quaisquer organizações formais de leitores normalmente existem para fins de coordenação e comunicação entre seus membros sobre as atividades de leitor, fomentar o estudo do livro, divulgar os ensinamentos, e manter as pessoas em contato uns com os outros .

Muitas pessoas que leem e acreditam no Livro de Urântia, não importa de qual religião ou denominação elas vêm, acham que o livro não diminui em nada a essência de suas crenças espirituais existentes. Embora ele possa desafiar suas crenças em alguma coisa da teologia e dogmas de sua religião tradicional, muitos disseram que tendo se tornado um leitor do Livro de Urântia tornaram-se um melhor cristão ou muçulmano, budista, ou judeu. Muitos permanecem ativos em suas igrejas e religiões tradicionais.